sábado, janeiro 21, 2006

Plano... tecnológico?

No início, talvez por inocência/ingenuidade, parecia-me que o Plano Tecnológico era o tipo de projecto de que Portugal precisa. Era (seria, poderia ser...) uma maneira de fazer com que o rasgo de inovação (o famoso "desenrascanço" bem português) fosse de alguma forma canalizado para um projecto com pés e cabeça, com princípio, meio, e fim.
Enganei-me. Afinal, as coisas não mudam de um dia para o outro, nem de legislatura para legislatura (a paixão pela educação vem-me inevitavelmente à memória, que me desculpe o Eng. Guterres...).
O Plano Tecnolólico transformou-se (e esta é a visão optimista) num verdadeiro "Choque Tecnológico". O choque entre quem quer fazer, e quem quer dizer que faz. O choque entre o académico "teórico" e o "animal" político. O choque, no fundo, entre a verdadeira vontade de mudar o rumo do país, e a tentativa de nos fazer acreditar que se faz o que se pode, mas que "a coisa está má"...
Como não podia deixar de ser, o Plano que passou a Choque arrisca-se a virar Telenovela (e daquelas mesmo más, mexicanas dobradas em brasileiro), com um final imprevisível e sujeito a escrutínio público.
Senão vejamos... O despique pouco elegante entre o PM e o Professor (nota: a função de PM não é, acima de tudo, uma função pública?) obriga o vilão a dar sinais de vida, saindo do seu confortável cantinho.
Fica a dúvida sobre os próximos episódios. Será que estamos a assistir ao canto do cisne? Ou a "estratégia" do Professor deu frutos, e sai Ministro e entra MIT?
Uma coisa é certa - política à portuguesa é assim, e por isso é que é tão difícil pôr a máquina em andamento...

2 comentários:

Ana 'Ribas' disse...

Eu, pessoalmente, fiquei chocada e profundamente triste por ver que os políticos não só boicotam o país no seu dia a dia mas também em projectos que podiam (poderiam ...) mudar o rumo da economia portuguesa.
Mas, não sei se por ingenuidade se por esperança tonta ainda espero que "saia Ministro e entre MIT" :)
Fantástico post Sara ;)

Maria disse...

Se será ou não um choque tecnológico não sei, mas deveria de ser, sem dúvida, um grande choque para qualquer português. O que me "choca" ainda mais é o que se transmite ao exterior: falta de profissionalismo e caractér.