quinta-feira, novembro 24, 2005

O Liberalismo e o Bloco

O Bruno ficou todo contente com um post do João Miranda, onde este tenta explicar que o Bloco não tem nada de liberal.
Mas a quantidade de comentários mostra que, por um lado, o tema é polémico, e, por outro, que o que lá se diz não está totalmente correcto.

Vejamos, por exemplo, o casamento: para o BE, seria entre o Estado e qualquer grupo de pessoas - ok, até são capazes de pensar assim, mas parece-me que pensam que o casamento é uma instituição completamente desadequada ao nosso tempo, inútil e que só tem lógica ser registada no Estado por pura ideologia; para os liberais, o casamento é um contrato privado. Mas isto não diz nada, um contrato de arrendamento de um escritório também o é. Há muitos tipos de visões liberais do casamento, e o João não quis dizê-lo.

Eu acho que é uma posição liberal dizer que o casamento é um contrato privado de uma mulher com um homem com um conjunto muito concreto de objectivos (no fundo, constituir uma família), e que vale a pena registar este contrato tão concreto porque tem uma relevância fundamental para a vida de todos os membros da sociedade.

E, tal como o "casamento", todos os outros assuntos não estão suficientemente bem trabalhados, excepto, talvez, as drogas e a adopção.

2 comentários:

Bruno Gonçalves disse...

Jorge,

A razão da minha "felicidade" não foi pelo João Miranda ter construído um post a separar completamente a ideologia liberal da bloquista. Gostei do post, porque creio que foi o primeiro que li, onde se tentava mostrar que existem diversas incoerências entre um modelo liberal e bloquista. Acho que o post é de si louvável, por tentar desmistificar essa ideia ERRADA que existe.

Eu não afirmei que concordava integralmente com todos os pontos, apenas sugeri a leitura. A questão do casamento não acho que seja a mais polémica, embora compreendendo a razão porque a referiste. Mas o teu argumento não é dos melhores, induzindo o leitor numa falsa percepção do conceito de casamento. Acho que certamente explicarás este tema melhor num post, certo?

Por último, não acho que apenas pelo facto de ter havido muitas discordâncias da opinião do JM, estas inviabilizem as ideias contidas. Tu melhor que ninguém compreendes, que até em aspectos considerados basilares no liberalismo (e consequentemente deveriam ter um amplo consenso), ainda levantam muitas dúvidas. Não que a ideologia seja dúbia, mas pelo simples facto das pessoas não se terem libertado de certos resquícios ideológicos.

um abraço

Anónimo disse...

Covido-os a ler, entre outras coisas interessantes (e picantes) o texto:

Lista das Oito Centenas de Milhar de Cidadãos a "Expropriar" pelo Estado, Onde Devem Estar Algumas Dezenas que até Mereciam

disponível no meu blog ORTOGAL

www.oortogal.blogspot.com

Saudações bloguísticas ao No Fundo, que muito aprecio.

Valdemar Rodrigues